sábado, 31 de maio de 2014

Reflita!

Quem se mantém longe da colmeia, com medo do ferrão das abelhas...
...não poderá desfrutar da doçura de seu mel.


 Quem não coloca as mãos no roseiral, temendo ser ferido pelos espinhos...
...não poderá agradar alguém presenteando uma bela rosa.


 Quem senta na grama, acovardado ante o desafio da montanha...
...não conhecerá a plenitude que se goza no cume.

  Quem não acende o fogo, temendo queimar-se com as chamas...
...sentirá frio e não poderá usufruir dos benefícios da luz.


 E quem não é capaz de dar e se doar...
...jamais gozará a felicidade de amar e ser amado.
 Porque tudo que vale a pena...
...exige sacrifícios!
Fonte: copiei.

Leia Mais

quinta-feira, 15 de maio de 2014

O destino e o mistério


Todos nos passamos por experiências muito difíceis durante nossa vida. Isso faz parte da nossa passagem aqui pela terra. Em muitos momentos, pensamos que “as coisas podiam ter acontecido de outra maneira”, mas o fato é que não tem jeito: não temos o poder de mudar nosso passado, isso é inevitável. Por outro lado, é ilusão pensar que tudo tem seu lado bom na vida. Existem coisas que deixam marcas difíceis de superar, feridas que sangram a beça. Como, então nos livrar das nossas experiências amargas da vida? Só existe uma maneira de fazer isso: vivendo de maneira sincera o presente. Temos que tirar do milagre de nossa vida diária a alegria de que necessitamos para manter viva a nossa fé e nossa confiança no próximo.
É como diz aquela velha e celebre frase: “Hoje é o primeiro dia do resto da minha vida”. Afinal é ilusão pensar que tudo tem seu lado bom, porque tem coisas que, realmente, deixam muitas marcas.

A: Do livro Maktub de Paulo Coelho.

Leia Mais

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Sem palavras, só saudades...


"Minha mãezinha querida,
Quanta saudade deixou,
Vivo bem mais perto dela,
Depois que Deus a levou."


Querida, esteja onde estiver, descanse em paz...
Eu te amo!

Leia Mais

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Felicidade


Que a felicidade não dependa do tempo,
Nem da paisagem,
Nem da sorte,
Nem do dinheiro.
Que ela possa vir com toda a simplicidade,
De dentro para fora,
De cada um para todos.
Que as pessoas saibam falar, calar,
E acima de tudo ouvir.
Que tenham amor ou
Então sintam falta de não tê-lo.
Que tenha ideal e medo de perdê-lo.
Que amem ao próximo e
Respeitem sua dor,
Para que tenhamos certeza
De que viver vale à pena!

A: Vera Manhães.

Leia Mais

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts