domingo, 26 de maio de 2013

Faxina


 
Estava precisando fazer uma faxina em mim.
Jogar alguns pensamentos indesejados fora, lavar alguns tesouros que andavam meio que enferrujados.
Então tirei do fundo das gavetas das lembranças o que não uso e não quero mais!
Joguei fora alguns sonhos e algumas ilusões. Papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca dei.
Joguei fora a raiva e o rancor das flores murchas que estavam dentro de um livro que nunca li.
Olhei para os meus sorrisos futuros e minhas alegrias pretendidas e as coloquei num cantinho, bem arrumadinhas.
Fiquei sem paciência!
Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste.
Mas lá também haviam outras coisas, belas coisas!
Fui me encantando e me distraindo, olhando para cada uma daquelas lembranças.
Um passarinho cantando na minha janela, aquela lua cor de prata, o pôr do sol.
Sentei no chão, para poder fazer minhas escolhas.
Joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou. Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima, pois quase não as uso, e também joguei fora no mesmo instante!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para ver depois o que fazer com elas, se as esqueço lá mesmo ou se as envio para o lixão.
Aí, fui naquele cantinho, naquela gaveta que a gente guarda tudo o que é mais importante: o amor, a alegria, os sorrisos, um dedinho de fé para os momentos que mais precisamos.
Como foi bom relembrar tudo aquilo!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, coloquei perfume na esperança e passei um paninho na prateleira das minhas metas, deixando-as à mostra, para não perdê-las de vista.
Coloquei nas prateleiras de baixo algumas lembranças da infância, na gaveta de cima as da minha juventude e, pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar e principalmente de RECOMEÇAR.
Como vai ser?
Comece agora a sua faxina!
Obs: Copiei este texto para reflexão. Achei lindo!!!

 

 

 

Leia Mais

domingo, 19 de maio de 2013

Coraçãozinho


Meu coração batia descompassado dentro do peito,
Então perguntei o motivo de tamanha inquietação.
Respondeu-me ele:
_Quero sair, preciso ir buscar o amor!
Pobre coração,
Tão frágil e sensível,
Sentia-se carente de emoções diante de um mundo que não conhecia.
Um pouco amedrontada, deixei que se fosse...
Até que um dia voltou...
Não era o mesmo. Era triste e taciturno...
Foi aí que tive a estranha sensação
De que meu coração queria morrer,
E por um motivo bem comum,
Ele se apaixonou, não sabia o que fazer...
O coitado apaixonou-se, sem me dizer,
Talvez por isso tenha se entregado com toda a força,
Jamais esperando uma decepção.
Eu, que devia zelar por ele,
O deixei sofrer,
Sem saber... Sem querer...
_ Prometo-lhe coração, vou cuidar de você...
Não deixarei que se destrua.
Por que, se você morrer por esta paixão,
Sou eu que morrerei por você.
A: Ligia.

Leia Mais

quarta-feira, 15 de maio de 2013

A história do pato


 
Havia dois irmãos que visitavam seus avós no sítio, nas férias.
Felipe, o menino, ganhou um estilingue para brincar no mato.
Praticava sempre, mas nunca conseguia acertar o alvo.
Certa tarde viu o pato de estimação da vovó... Em um impulso atirou e acabou acertando o pato na cabeça e o matou. Ele ficou chocado e triste!
Entrou em pânico e escondeu o pato morto no meio da madeira!
Beatriz, a sua irmã viu tudo, mas não disse nada aos avós.
Após o almoço no dia seguinte, a avó disse: "Beatriz, vamos lavar a louça"
Mas ela disse: " Vovó, o Filipe me disse que queria ajudar na cozinha". E olhando para ele sussurrou: "Lembra-se do pato?”.
Então o Felipe lavou os pratos.
Mais tarde o vovô perguntou se as crianças queriam pescar e a vovó disse: "Desculpe, mas eu preciso que a Beatriz me ajude a fazer o jantar." 
Beatriz apenas sorriu e disse, "Está bem, mas o Filipe me disse que queria ajudar hoje", e sussurrou novamente para ele, "Lembra-se do pato?”. 
Então a Beatriz foi pescar e Filipe ficou para ajudar.
Após vários dias o Filipe sempre ficava fazendo o trabalho da Beatriz até que ele, finalmente não aguentando mais, confessou para a avó que tinha matado o pato.
A vovó o abraçou e disse: "Querido, eu sei... eu estava na janela e vi tudo, mas porque eu te amo, eu te perdoei. Eu só estava me perguntando quanto tempo você iria deixar a Beatriz fazer você de escravo!”.
Qualquer que seja o seu passado, ou o que você tenha feito... (mentir, enganar, seus maus hábitos, ódio, raiva, amargura, etc.). Seja o que for... Você precisa saber que Deus esta sempre na janela e vê como tudo acontece. 
"A vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não irá protegê-lo".
Copiei.

Leia Mais

sábado, 11 de maio de 2013

Feliz Dia das Mães!!!


Mãe, quem é você?
Mãe, quem é você?
Se estou feliz,
Quantas vezes te esqueço;
Se estou triste,
Quantas vezes te procuro.
Mãe, quem é você,
Que eu critico,
De quem eu exijo coisas tão pequenas
Para satisfazer a minha comodidade,
Mas a quem peço a maior ajuda
Nos instantes mais difíceis?
Mãe, quem é você,
Para quem eu tantas vezes
Esqueço o meu carinho,
E de quem exijo tanta atenção?
Mãe, quem é você, com que discuto
E para quem peço conselhos?
Mãe, quem é você,
Para quem reclamo sempre,
E para quem guardo
O abraço maior e a maior ternura.
Mãe, eu sei,
Você só é... AMOR.
A: Maria Helena Gouveia
Fonte: comamor.com.br

Leia Mais

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Sociedade


Feliz daquele que sabe o papel que tem a desempenhar na sociedade, da qual é peça integrante e inseparável.
Viver e vegetar sempre foram o marco diferencial da conduta humana, vista que, enquanto uns gozam a vida em toda a sua plenitude, outros a contemplam, num perpassar inesquecível de dias sem significação alguma, pela razão de que não vivem e simplesmente vegetam.
Por isso é que, em qualquer organização social, uns se conduzem e outros são conduzidos, por causa de aos primeiros ser facilitado e aos segundos, tudo dificultado.
Essa desigualdade entre os que sabem o que querem, e por si se dirigem ao ponto culminante da trajetória que delinearam, e os que caminham impulsionados pela vontade de outrem, é o que se pode chamar de incógnita a decifrar e a corrigir, para que os meios e os fins sejam produto dos princípios sadios a observar na formação dos jovens e conseqüentemente de grande responsabilidade dos adultos.
A: Copiei.

Leia Mais

sábado, 4 de maio de 2013

Detalhes


"Se gente não fosse feita pra ser feliz, Deus não teria caprichado tanto nos detalhes. Perseverança não é somente acreditar na própria rede.
Perseverança é não deixar de crer na capacidade de renovação das águas.
Hoje, o dia pode não ter sido bom, mas amanhã será outro mar.
E eu estarei lá na beira da praia de novo.”
A: Ana Jácomo.

Leia Mais

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts