quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Aprendi a me conhecer


Aprendi a me conhecer lentamente
A mudar rapidamente.
Quando me descubro já não sou.
Nunca estou satisfeito com que pude fazer,
Com o que pude realizar.
O que pude dizer,
o que fui capaz de sentir.
Sou perfeccionista com o passado.
Protegi meus sonhos em mantas grossas de mentiras
os ombros cobertos, como uma criança adormecida.
Tentando escapar do frio de palavras.
Por um pequeno descuido, um ínfimo deslize,
declarei meus segredos ao mundo.
As respostas chegaram em forma de versos.
Atrevi a desconhecer-me e então me reconheci.
 A: Fernando Palma

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts