domingo, 10 de junho de 2012

Foi assim

Depois de tudo que dissestes,
Naquela tarde em que te despedias,
Depois de olhar-te através do meu pranto,
Sofrendo, pude ver que tu sorrias.
Entendi que não teria volta,
Pelo menos enquanto não quisesses voltar,
Meu coração é que terá que decidir,
Por quanto tempo, quer deste amor viver,
Porque, por mim, eu não te recusaria,
Dentro de mim, ainda muito amor havia.
Conservá-lo até quando,
Eu não saberia...
Não olhe, não com esse olhar,
Que consegue minh’alma desnudar.
Foi assim, conversando com meu eu,
Busquei forças para ficar,
Aqui, no lugar que me deixastes,
A tua volta, esperar...
A: Ligia.

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts