quinta-feira, 5 de abril de 2012

A ratoeira

Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e a esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali. Ao descobrir que era uma ratoeira, ficou aterrorozado. Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos:
- Há uma ratoeira na casa! Há uma ratoeira na casa!
A galinha disse:
- Desculpe-me, senhor Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me prejudica em nada, não me incomoda.
O rato foi ao porco e disse-lhe:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira!
- Desculpe-me senhor Rato, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranqüilo qe o senhor será lembrado nas minhas preces.
O rato dirigiu-se, então, a vaca. Ela lhe disse:
O que, senhor Rato, uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!
Então o rato voltou para casa cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro. Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando uma vitima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia pegado. No escuro, ela não vira que a ratoeira havia pegado a cauda de uma cobra venenosa. A cobra picou a mulher.
O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Lá o medico aplicou o soro, mas exigiu que a mulher seguisse uma dieta alimentar. Assim que chegou em casa, o fazendeiro pegou seu cutelo e foi providenciar o ingrediente principal da canja de galinha que serviria a esposa.
Muitos amigos e vizinhos foram visitar a mulher enquanto ela estava em repouso e, para alimentá-los, o fazendeiro matou o porco e deu de comer. Quando finalmente a mulher melhorou, o fazendeiro resolveu fazer um churrasco e, para alimentar todos os convidados, matou a vaca.
Moral da historia: “Jamais imagine que o problema dos outros não lhe diz respeito. Lembre-se de que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco”.
Fonte: Jornal  

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts