sábado, 24 de setembro de 2011

Sonhos

Recordo um passado de sonhos,
Nada mais que sonhos, devaneios.
Parti em busca da verdade,
De uma felicidade que se tornasse realidade.

No entanto, o sonho era pesadelo.
Eu que queria desesperadamente tê-lo,
Como areia escapou entre meus dedos,
O meu coração ele deixou em pedaços.

Morte dos sonhos descrita num poema,
Da busca incessante de uma felicidade plena,
De um amor eterno sem mentiras, do carinho sem fingimento.
Morte de tudo, do amor, do acreditar, dos sentimentos...
A: Dalva Nascimento.

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts