terça-feira, 5 de abril de 2011

O florista


Meu caminho para o trabalho era aquele. Todos os dias úteis religiosamente eu passava por aquela rua, e para atravessá-la tinha que parar naquele sinal.
Quase escondida pela banca de jornais tinha uma lojinha de flores. Naquele horário, ainda estava fechada para a clientela, mas lá dentro o movimento daquele rapaz já era intenso. Com que delicadeza preparava as flores para os arranjos. E as flores como que agradecidas ostentavam todo o seu esplendor. Até aquelas que pareciam já não ter tanto viço, se revigoravam ao simples toque daquelas mãos.
Era quase como uma oração eu perder alguns segundos olhando aquela vitrine, e quando o moço me surpreendia espionando-o através do vidro, fazendo mímica, eu perguntava:
- Quanto custa a flor? E apontava para a flor que ele tivesse em mãos. Em troca recebia um sorriso. Então sorria de volta e corria para aproveitar o sinal.
Por algum tempo eu fiz aquela romaria. Sempre perdia um tempinho observando o vendedor de flores.
Um belo dia fingi não perceber que via movimento dentro da loja. Olhei de soslaio e observei que ele segurava uma flor como se esperasse eu perguntar quanto era. Quando me virei, ele, copiando o gesto que eu fazia, perguntou:
- Quanto é a flor?
Apenas sorri e corri para atravessar a rua já tão conhecida.
Veio o sábado, domingo, e quando na segunda feira lá ia eu, no horário de sempre, qual não foi minha surpresa ao passar pela lojinha e encontrá-la aberta. O vendedor, na porta, segurava uma caixinha com uma linda orquídea cor de rosa. Com uma voz tão suave quanto às flores que cuidava e vendia, disse-me:
- Esta não tem preço. É para você!
O sinal do transito abriu e fechou pelo menos duas vezes.
Mais tarde, notei na caixinha, um pequeno envelope. Dentro um recadinho com um pedido de amizade.
Hoje, muito tempo depois, com ou sem flores, ou correndo para atravessar o sinal, continuamos amigos.
A: Ligia.

1 comentários:

Silmara PF 5 de abril de 2011 18:55  

Que texto lindo!
Me imaginei num lugar maravilhosos, cheio de flores, vendo uma simpática florista...
Depois de um dia cheio de stress, um poema desse relaxa.
Bjs amiga...

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts