terça-feira, 28 de setembro de 2010

Andanças

Gente amiga, como vão vocês? Eu cá estou naquela fase de desanimo e falta de inspiração. Vejam vocês que, passeando pela blogosfera, fui parar no blog da Biah. E, não é que encontrei um texto dela que parecia ter sido escrito diretamente para mim (claro que, com pequeninas diferenças, pois sabemos que ninguém é totalmente igual, rs). Saí de lá tão fortalecida, que vim logo dividir a novidade com vocês.
O blog é dedicado à moda (com cada coisa linda), e vale a pena uma visita. Depois me dêem razão.
Segue o texto:
A vida e o acaso
É interessante pensar que a vida da gente é engraçada, como situações inesperadas acontecem e tudo o que já conhecemos sempre pode mudar. Vivo numa fase de grandes passos pessoais, e de uma tremenda auto-valorização. Mas para chegar neste ponto muito história aconteceu. É necessário quase sempre chegar ao fundo do poço, se esmigalhar em pedaços, para que novos valores sejam agregados na vida da gente. Não se pode querer apenas uma vida de acertos, de “precisão”, mas sim uma vida de progresso constante, com altos e baixos, numa mescla de morrer e viver, com diversos sabores dissabores. Na vida encontramos pessoas inconseqüentes, com comportamentos destrutivos em busca de um posicionamento no mundo, em busca do reconhecimento do outro e um sentido para sua existência. Essas pessoas não sabem que nem sempre as próprias mãos podem mudar o seu momento, e que isso só gera ansiedade, e às vezes destruição. Querer mudar, saber que tem que mudar e não conseguir mudar leva muita gente à loucura. Ter calma nesta hora é a melhor solução, pois mesmo quando estamos parados o mundo a nossa volta não está, e muitas situações acorrem ao mesmo tempo, podendo ter ligação positiva e direta conosco. A vida deve ser saboreada e sentida com cuidado. Não se pode querer fazer tudo do nosso jeito sempre, nem sempre se pode ficar na mesma filosofia de vida, ou não se pode querer moldar as pessoas da nossa maneira de pensar. Aposto que de uma hora para outra aquela pessoa chata muda, que de uma para a outra o telefone toca e uma proposta de um novo trabalho aparece, aposto que de uma hora para a outra, naquele dia frio e com garoa, naquele bar vazio, um amor aparece. Parei de lutar só com minhas mãos! Agora luto também com o acaso, com a dúvida. Hoje ainda faço minha parte, estudo, faço amigos, mando currículos, assisto ótimos programas, mas entrego boa parte dos acontecimentos da minha vida nas mãos do acaso, do “sem-querer”, do “eu ainda não sei e não controlo tudo”. Atitudes loucas, ansiedade em busca de um lugar ao sol gera desconforto, mas tenho certeza que tudo isso só nos faz perceber que não existe resposta para tudo, e que o tempo das coisas não é muitas vezes o tempo da gente, e que parar, respirar e perceber com cuidado é o melhor caminho.
http://bazardabiah.blogspot.com/

Leia Mais

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Buscando Novidades


Novidade em decoração
Você está morrendo de vontade de fazer algumas mudanças na decoração da casa e gostaria de ver como ficaria o layout?
Tenho uma dica: testar as ferramentas do site Floorplanner.
É um simulador e planejador de ambientes, bem fácil de usar. E o bacana que trabalha em qualquer browser moderno (não é necessário baixar programas extras).
Não tem os recursos do Autocad, mas dá pra criar algumas coisas como à planta baixa do ambiente e fazer a decoração com móveis e objetos.
Depois você pode salvar e imprimir seus projetos. Que tal aproveitar o final de semana pra criar alguma coisa?
Vamos lá gente amiga, é uma boa diversão. Bjs.

Leia Mais

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Reflexão

Photobucket
Ser feliz é questão de persistência, de lutas diárias, de encontros e desencontros.
Quantas pessoas já passaram pela sua vida e te magoaram?
Quantas passarão pela sua vida só para roubar sua energia?
Quantos realmente estarão preocupados com você?
A questão é como você vai encarar essas situações.
Como ficarão seus projetos? Eles resistirão às amarguras e desacertos do dia a dia?
O objetivo você já tem: Ser feliz!
Como alcançar você já sabe: Lutando!
Resta saber o quanto feliz você quer ser.
E, principalmente, qual o limite que você colocou em seus sonhos.
Lembre-se: não há limites para sonhar.
“O impossível é apenas algo que alguém ainda não realizou”!
A: Texto adaptado.

Leia Mais

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Silencio da Madrugada

Silencio...
É madrugada sem sono.
Deito, levanto, penso, repenso e os pensamentos viajam.
Pega a estrada do passado, e vai embora..
Pega, curvas e desvios e desaparece na estrada.
E chega lá... Na infância.
Corre no campo, corre na chuva e na lagoa mergulha.
Corre atrás das borboletas e no galho da mangueira senta, para ficar bem mais pertinho do céu.
E a lua é tão clara que mais parece que é dia,
E no céu tantas estrelas, que nem dá para contar.
Todos os galhos cintilam cheios de vaga-lumes,
Tudo é tão bonito que os pensamentos pararam.
Mais é tempo de voltar, quem sabe o sono chegue, pois cansou de viajar.
E a infância tão bonita entre as estrelas ficou.
A: Terezinha C Werson.

Leia Mais

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

O Palhacinho e a Ampulheta

Distraído, o palhacinho observava o movimento de uma ampulheta, mas não conseguia entender o motivo pela qual ela deixava fluir toda a areia de seu interior para em seguida ficar de ponta cabeça e começar tudo de novo.
Ele – pensava – Que ficava em movimento a maior parte do tempo, dando cambalhotas, contando piadas e fazendo os outros rirem, pois era a sua vida, estava ali parado. E, pensando em fazer graça, pergunta com curiosidade:
_Que fazes, sra. ampulheta, já que a vejo aí movimentado incessantemente a sua areia?
Sem perder a marcação, responde a ampulheta cheia de orgulho:
_Marco o tempo das horas, o tempo da distancia ou de um abraço. Marco o tempo de uma dor, o tempo de um desafio, também marco o tempo do amor.
Há momentos que passam tão rápido que não consigo passar minha areia toda, e há também os momentos vagarosos. Então tenho que virar muitas vezes seguida.

Posso marcar o tempo que dura um sorriso ou uma tragédia. Neste momento, estou marcando o tempo que está aí parado, preocupado com a minha vida e sem cuidar da sua.
_Então sra. ampulheta – corta o palhacinho – seu trabalho é marcar tudo, tudo?
_Não palhacinho, eu sou como o calendário da vida. Marco o tempo de uma existência, mas não marco o da saída. Por isso, viro de ponta cabeça, a cada vez que termino de marcar um tempo. Tudo pode parar definitivamente, menos eu. E tenho que fazer isso muito rápido, pois tenho o tempo contado para marcar bons e maus momentos e tudo o mais.
O palhacinho entendeu que ainda não era à hora de ele parar, e dando cambalhotas, foi embora sorrindo feliz para quem cruzasse seu caminho. Enquanto isso a ampulheta permanecia ali no seu embalo, marcando o tempo de uma etapa em algum novo acontecimento.
A: Ligia.

Leia Mais

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Mais do que palavras

Quando as coisas acontecem, é quase sem perceber. Primeiro, a expectativa de um final de algo que nem começou. Depois a suposição de um percurso inadequado, e, entre as duas alternativas, a certeza que talvez não pudesse ser diferente.
Assim é o sentimento, mais do que palavra, é um acontecimento. Pequeno, grande, em maior ou menor em grau de intensidade, não pode ser descrito em textos de qualquer categoria. Bom ou mal deve fazer sentido. É parte importante da vida.
A: Ligia.

Leia Mais

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts