sábado, 12 de junho de 2010

Em Silêncio

Ainda que houvesse tempo para um grito, qualquer um escutaria aquela voz.
Mas não houve, agora só o silêncio e uma tristeza enorme nos corações.
Estive perto embora distante, com os olhos da alma vi a chuva que caía torrencialmente, e através dos respingos na vidraça contei o que poderiam ter sido estrelas.
Depois a intensidade da chuva diminuindo parecia ser o derradeiro lamento do mundo que chorava. No meio do sepulcral silêncio pude ouvir os suspiros de alguém que pensou ter ouvido o grito do seu ente querido pela ultima vez.
Talvez fossem os últimos soluços antes que tudo afundasse no total silêncio.
Para quem partia talvez fosse o inicio de uma caminhada silenciosa ao encontro de Deus.
Pelas vitimas das enchentes que enlutaram o Rio de Janeiro e outros...
A: Ligia.

1 comentários:

Paulo Tamburro 12 de junho de 2010 22:19  

OI LIGIA,

FOI REALMENTE UM MONENTO DIFÍCIL PARA NÓS.

EU ACHO QUE ESTAS VERBAS GASTAS EM LIMPÍAAS E COPA DO MUNDO É DE RETORNO, MUITÍSSIMO DUVIDOSO.

EU FIQUEI PRESO NA AV. DAS AMERICAS POR 2 HORAS E EXATAMENTE PRÓXIMO,ONDE ELES CONSTRUIRAM OS APARTAMENTOS PARA OS ATLETAS.

GASTARAM MILHÕES NAQUELE LOCA .

É DAÍ?

VIDA QUE SEGUE.

NÃO CONHECIA O SEU BLOG.

ACHEI REALMENTE, MUITO INTERESSANTE E VOLTAREI SEMPRE.

TAMBÉM, APROVEITO PARA CONVIDAR VOCÊ A CONHECER O MEU BLOG:

“HUMOR EM TEXTO”.

A CRÔNICA DESTA SEMANA NOS ALERTA SOBRE OS RELACIONAMENTOS HUMANOS DISSIMULADOS E ENGANOSOS.

SE PUDER, CONFIRA E SE QUISER COMENTE, POIS LÁ O MAIS IMPORTANTE É O SEU COMENTÁRIO.

UM ABRAÇÃO CARIOCA!

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts