sábado, 12 de setembro de 2009

Novo Dia


Abro as janelas do vento,
Em ondas de emoções e de lamentos,
Resquícios de folhas secas já pisadas,
De um outono anunciado ainda perdido.
Varandas de solidão desse passado,
Refletem-se na aurora que sorri.
Devagar, timidamente,
Em passos que se desdobram,
Surgem novelos de anseios,
Sentimentos escondidos,
Suspensos em fiapos de esperança,
Que desabrocham lentamente,
Na aurora que se vislumbra,
Abro-me a um novo dia,
Caminho silenciosa,
Desato nós, desfaço laços,
Transformo o choro em vontade.
A: Maysha.
Visitem-na em seu Blog: mayshay.blogspot.com

1 comentários:

Maysha 17 de setembro de 2009 12:32  

Quanta gentileza Ligia querida, postar um poema meu no teu blog, é uma honra para mim, que agradeço.
Como vais amiga tudo bem contigo e familia?
Fica bem e em paz, beijo de luz com amizade
Isa

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts