quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Criança, o presente e o futuro

Quem não foi criança?
Era uma vez, eu tão triste,
Tinha perdido a esperança,
Fui procurá-la no fundo,
Dos olhos de uma criança.

Seu rostinho triste, abatido,
E as lágrimas escorrendo,
Parecia me dizer:
_Tia, como eu estou sofrendo.

No seu corpo, só um trapo,
Resto que ganhou de alguém,
Na mão um brinquedo velho,
Nem chinelinho ela tem.

Porquê? Perguntei a mim mesma,
Criança tem que sofrer?
E se são delas o futuro,
Elas não podem morrer!

Enquanto há vida, há esperança,
Crianças devem crescer,
Com amor, estudo e vida,
Pra poder nos suceder.

_Olhe em meus olhos, menina,
Ainda guardo a lembrança,
Você me faz recordar,
Os meus tempos de criança...
A: Ligia.
Obs. Se não cuidarmos das crianças, não teremos adultos.

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts