segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Sou Feliz da Vida!

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um não.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo...”
De: Fernando Pessoa.

Leia Mais

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Começo de História


Ficou o texto inacabado,
De tantos que comecei a escrever,
Cada letra, cada traço mal riscado,
Dizia tudo o que eu não quis dizer.
Incompletas, as frases foram ficando.
Sem rimas, sem nexo... Bobagens,
Coisas tolas, difíceis de compreender,
Impossíveis ainda mais de comentar.

Não liguem, minhas histórias são assim,
Não tem começo, nem meio, nem fim,
São somente coisas,
Que vem da minha alma,
Essências saídas de dentro de mim,
Do fundinho do meu coração,
E que, quando passadas para o papel,
Acabam se transformando,
Numa tremenda confusão...
A: Ligia.

Leia Mais

Que coisinha mais fofa!



Olhem só o que achei no blog da amiga Janice. Acho que combina com meninas de qualquer idade. E lá tem mais, cada uma mais linda que a outra. Estas foram as que mais gostei, passem por lá, vão encontrar outras novidades muito criativas...
janice-doceencanto.blogspot.com

Leia Mais

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Criança, o presente e o futuro

Quem não foi criança?
Era uma vez, eu tão triste,
Tinha perdido a esperança,
Fui procurá-la no fundo,
Dos olhos de uma criança.

Seu rostinho triste, abatido,
E as lágrimas escorrendo,
Parecia me dizer:
_Tia, como eu estou sofrendo.

No seu corpo, só um trapo,
Resto que ganhou de alguém,
Na mão um brinquedo velho,
Nem chinelinho ela tem.

Porquê? Perguntei a mim mesma,
Criança tem que sofrer?
E se são delas o futuro,
Elas não podem morrer!

Enquanto há vida, há esperança,
Crianças devem crescer,
Com amor, estudo e vida,
Pra poder nos suceder.

_Olhe em meus olhos, menina,
Ainda guardo a lembrança,
Você me faz recordar,
Os meus tempos de criança...
A: Ligia.
Obs. Se não cuidarmos das crianças, não teremos adultos.

Leia Mais

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Diário, Coisas do Coração


Diário...
Tempo bom aquele, dias felizes, romantismo no ar, pureza de sentimentos. Tudo escrito, agendado num caderninho de capa colorida feita com papel de presente.
Diário, tive o meu e sei de muitas amigas que tiveram também.
Diário era uma espécie de confidente, posso dizer que era quase uma relíquia. Nele depositávamos tudo aquilo que o dia a dia nos proporcionava e não tínhamos coragem de dividir com ninguém. Fosse alegria, tristeza, ou um simples oi.
Era uma espécie de irmã mais velha, um conselheiro, eu diria... Ou travesseiro, lencinho de papel. Quem sabe, aquele melhor amigo.
Ainda deve ter quem o guarde.
Todos os dias tinham histórias para o nosso diário, isso até entrar naquela fase em que a vida começa a correr, o tempo escasseia, e ele, o diário, vai parar no fundo da gaveta ou de um velho baú. (Será que ainda existem baús?)
E ficava lá, esperando ser requisitado, cada vez mais raramente...
Só a dona sabia seus segredos. Um sol, flores, o céu estrelado, os coraçõezinhos desenhado juntos e pintados de vermelho, o cupido com sua flecha, a estrela cadente, enigma que seria decifrado somente por um alguém que, na sua inocência, se julgasse apaixonado.
Diário, onde a conversa desenrolava sem bloqueios, sem censura, e era tratado como se fosse o primeiro namorado. Escrever desanuviava o espírito, liberava as emoções. O baton carmim escondido na bolsa desenhava a boca que marcaria o papel. Só mesmo aquele caderninho sabia explicar o inexplicável, transformar rabiscos em sentimentos. E não reclamava quando alguma lágrima manchava uma de suas páginas.
Uma coisa é certa, quem já teve um diário e nele colocou emoções vividas ou sentidas, nunca o esquecerá. Nós sabemos que palavras o vento leva, e o que for escrito permanece... Bem oculto, às vezes sufocado, mais vivo para sempre no íntimo de quem um dia viveu sua adolescência, e, guardou em si um pouco daquela ingenuidade mágica dos tempos do diário.
A: Ligia.

Leia Mais

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Faça Agora

(Dez conselhos para assumir o controle sobre sua vida)
É hora de prestar mais atenção a você. Os psicólogos Wallace Hetmanek da Unati/Uerj e Mariana Córdova do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) também da Uerj reuniram dez conselhos muito úteis.
Seja positivo, e a vida irá lhe retribuir, trazendo sensações de prazer e satisfação. Ser positivo é ter fé, acreditar nas oportunidades, na vitória, no mundo, esperando sempre o melhor da vida
Torne-se presente. Fique atento ao presente, a você, a sua volta, o que irá possibilitar uma tomada de consciência muito valiosa das suas necessidades. Tendo controle sobre o funcionamento do seu corpo e mente, saberá com tranqüilidade, quando convidado a sair de seu eixo de equilíbrio e a hora de afastar-se ou de aproximar-se.
Concentre-se no aqui e agora.
Reencontre-se. Resgate seu amor por si e pelo próximo. Encontre o amor, o respeito e o perdão que lhe cabem dar e receber. Busque recuperar o amor, sentir seu coração aquecido, se permitindo experimentar o sentimento de bem querer a vida que envolve o estado amoroso. Uma boa forma é começar sendo gentil com você mesmo!
Caminhe de acordo com os seus sonhos. Sonho é feito, no mínimo, para ser sonhado. Você tem o direito de querer ir para onde está indo, portanto, persista naquilo que é verdadeiramente importante para você, faça isso também pelas pessoas que ama.
Planeje. Tenha rotas e planos sobre a vida e o que quiser melhorar. Crie recursos e os desenvolva. Sejam esses recursos pessoais, profissionais, amorosos ou de qualquer tipo. Desenvolva também sua capacidade de planejar e pense; os planos precisam da sua ação para acontecer.
Cometa erros. Lembre-se: podemos sempre vencer em nossa mente, dependendo da maneira como a usamos. Há sempre espaço para as vitórias, não se preocupe tanto com os seus ‘erros’, pois eles fazem parte de um tipo de aprendizado, em geral, tem a ver com culpa, que quase nunca está no passado, numa avaliação critica, se for assim, talvez tenha sido o melhor que fez naquelas circunstancias especificas, desculpe-se, quando a situação permite, pois você usou o melhor de seus recursos.
Estique sua mente e seu corpo. Troque afeto, compartilhe experiências, enriqueça seu repertorio de caricias, pratique exercícios. Experimente algumas das formas de estar no mundo, mudando de caminho em sua rotina, converse com desconhecidos em espaços públicos, pergunte, olhe mais a cima e mais por baixo. “a mente é como um pára-quedas, funciona melhor aberto”.
Assuma as responsabilidades sobre suas ações. É a melhor maneira de estar em contato com o seu Adulto. É quando você pode experimentar sensações de integração, de maior autoconfiança e não abrir mão de sentir-se culpado. Antes de apontar o dedo para o outro, faça o exercício de atribuir a você a responsabilidade por algo que não saiu como esperava ou desejava.
Olhe mais para você. Abra mão de querer ter o melhor de outras pessoas, o tempo todo. Essa atitude não é justa com você, os seus sonhos e o seu próprio tempo.
Mantenha o foco. Mantenha o foco em sua felicidade, pois, como tudo aquilo que você foca, ela irá se expandir. Decida com o coração e a cabeça nas horas difíceis. Diante do que quer, não titubeie, vá a luta e conquiste.
Por: Dr. Wallace Hetmanek e Dra. Mariana Córdova (psicólogos).

Leia Mais

sábado, 19 de setembro de 2009

OLÁ FAMÍLIA, TUDO BEM?

Deixei esta mensagem para avisar-lhes que estou provisóriamente sem computador, (hoje estou na Lan House). Desejo a todos um final de semana com muita alegria, saúde e felicidade. Depois descansem um pouquinho, pois ninguém é de ferro. Beijos fofos para os pequenos e até breve.
Já estou com saudades.
Beijo de paz.

Leia Mais

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Curiosidades... 7 - 8 - 9

7) Por que há uma espécie de 'Choque' quando se bate o cotovelo na quina da mesa?
A reação é causada pela compressão de um nervo chamado ulnar.
No cotovelo, o nervo ulnar está muito exposto, ficando suscetível a pancadas.
Esse nervo está ligado aos dedos mínimo e anular. Por isso, a sensação de choque se espalha do cotovelo até esses dois dedos.

8) Estalar os dedos engrossa as articulações?
Não. Ao esticar o dedo, o líquido sinovial lubrificante da articulação responsável por diminuir o atrito se desloca sob o vácuo formado entre as articulações, fazendo o barulho do estalo', ensina o ortopedista cirurgião de mãos Luís Nakashima.
O mesmo fenômeno pode ser percebido nas costas e nos joelhos.
Provocar o estalo no dedo não faz mal algum.

9) Por que tenho a impressão de já ter visto um lugar onde
nunca estive?

A sensação de 'déjá vu' pode acontecer com quase todos e tem origem biológica. O hipocampo - região do cérebro responsável pelo processamento da memória - é ativado fora de hora, exatamente quando está ocorrendo um fato novo, dando a impressão de que aquilo já estava registrado, de que é um fato do passado.
O evento é mais freqüente em pessoas com epilepsia no lobo temporal e isso, provavelmente, está relacionado com 'disparo' anormal do hipocampo, um dos centros cerebrais da memória', explica o psiquiatra Roberto Sassi.
Mas isso não implica que pessoas que tenham 'déjá vu' sofram de epilepsia.
Fonte: Internet.

Leia Mais

sábado, 12 de setembro de 2009

Beba Com Moderação...

Um copo só.
Para evitar os típicos acidentes por excesso de alcool em festas e nos finais de semana, iniciamos uma campanha para incentivar que só se permita UM copo de cerveja por pessoa... Para o bem de todos.

Gente, é só uma brincadeirinha, rs.

Leia Mais

Novo Dia


Abro as janelas do vento,
Em ondas de emoções e de lamentos,
Resquícios de folhas secas já pisadas,
De um outono anunciado ainda perdido.
Varandas de solidão desse passado,
Refletem-se na aurora que sorri.
Devagar, timidamente,
Em passos que se desdobram,
Surgem novelos de anseios,
Sentimentos escondidos,
Suspensos em fiapos de esperança,
Que desabrocham lentamente,
Na aurora que se vislumbra,
Abro-me a um novo dia,
Caminho silenciosa,
Desato nós, desfaço laços,
Transformo o choro em vontade.
A: Maysha.
Visitem-na em seu Blog: mayshay.blogspot.com

Leia Mais

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Quem Tem Medo


Vou achar um lugar para ficar bem quietinha. Não quero que saibam que chorei. Por acaso, se alguém ver e perguntar, eu direi que chorei de alegria.
Fiz felizes os meus dias, eu que jamais imaginei. Talvez por acreditar que nunca me enganei.
Vou achar um lugar onde possa ser simplesmente eu.
E pensar que fui semente, dei flor, fruto, até virar folha seca jogada ao chão e ser levada pelo vento. Aí, parar num canto qualquer e começar a decompor-se, virar adubo e fortalecer uma nova semente.
Se não for eu, alguém a cuidará, e não terei medo de vê-la crescer.
E não terei medo de vê-la morrer.
É morrendo que se volta a viver.
A: Ligia.

Leia Mais

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Amigo Virtual


Especialmente para você
Fico sempre tentando construir um rosto, um sorriso seu,
escondido atrás desta tela... Imagino sua voz, o seu olhar,
o seu jeito de teclar, a maneira de sentar... Imagino o cenário:
um lugar apertadinho no quarto, um vasto escritório com
tudo no lugar, um ambiente de trabalho, ar condicionado...
Talvez um calor de rachar!
Tudo posso imaginar. Mas o que realmente importa é o que
vem de dentro de você e chega a mim.
Sua vontade de participar da minha vida e dos meus sonhos.
Um jeito só seu de me acarinhar dizendo palavras certas no
momento em que eu mais precisava delas; a sua emoção ao
encontrar-se nos meus versos, a lágrima de cumplicidade,
o sorriso de amizade, os ouvidos que cede para minhas
lamúrias e o aplauso às minhas venturas.
Sei que está aí a qualquer hora! Abro o meu coração e você me
abre o seu. Não vejo seus olhos, mas desnudo sua alma.
Não sinto o seu abraço, mas percebo o seu calor.
Eu não o engano e você não tem razões para me enganar.
Por tudo isso e por tantas coisas mais é que lhe digo sem vacilar:
A verdadeira amizade tolera obstáculos que o amor não consegue suportar...
Prefiro ter um amigo como você a um estranho para amar.
A: Desconheço o autor.

Leia Mais

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Curiosidades... 4 - 5 - 6

4) De onde vem a cãibra?
Segundo o neurologista Acary Oliveira, da Unifesp, 95% da população já
experimentou esse espasmo muscular, em geral na barriga da perna.
Após intensa atividade física, acaba a energia e a musculatura se contrai e não relaxa. Para passar, o segredo é contrair o músculo oposto ao que está doendo, como fazem os jogadores de futebol.
Se a câimbra for na barriga da perna, por exemplo, basta alongar os músculos da parte da frente, puxando a ponta do pé para cima, em direção a canela.

5) O que causa o arroto?
Também chamado eructação, o arroto é causado pelo ato de engolir ar (aerofagia).
Falar ou comer muito rápido, engolindo ar, são as causas mais comuns.
Ingerir alguma substância que contenha gás, como refrigerante, pode ser outra causa provável. A cura não é muito educada.
Basta 'eructar’.

6) Por que, às vezes, meu olho treme?
O espasmo das pálpebras é causado pela contração do músculo orbicular (músculo responsável pelo fechamento das pálpebras).
A causa mais provável é que seja provocado pelo cansaço ou tensão.
'É como uma cãibra', explica o oftalmologista Paulo Henrique, da Unifesp.
O músculo se movimenta rápido para fazer circular mais sangue na região e dissipar o ácido lático, responsável pela irritação na terminação nervosa.
Fonte: Internet.

Leia Mais

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts