terça-feira, 11 de agosto de 2009

Procurando Um Rosto


Precisava achar um rosto, mas não um rosto qualquer.
Tinha que ser um rosto muito especial.
Que tivesse a beleza do arco-íris, irradiasse paz e tranqüilidade e, com um pensamento transformasse guerra em paz, ódio em amor. Seu olhar teria quer puro como o de um anjo e forte como nunca se imaginou.
Poderia estar em qualquer tipo físico. Mesmo que não me enxergasse, bastaria que eu o visse. Não sei o que diria, se fosse preciso falar,
Acho que me calaria diante do seu olhar.
Muitas pessoas passaram por mim,
Eu nem as quis encarar. Não era nenhum desse rosto, o que eu vim procurar.
Se olharem, eu desvio os olhos, com vergonha de chorar.
Busquei em praças, feiras, enjoei em alto mar,
O rosto que eu buscava, não estava em nenhum lugar.
Já cansada, deprimida,
Ergo os olhos para o céu,
Ouço uma voz a dizer: Não procure, minha filha, estou sempre com você!
Chame-me em orações, sempre que quiser me ver.
_Desculpe-me bom Jesus,
A minha vacilação.
Só esqueci de olhar,
Dentro do meu coração.
A: Ligia.

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts