sábado, 27 de junho de 2009

Suas Dúvidas Estão Espalhadas Por Aí?

(Visitando o blog de uma amiga, dei de cara com este texto que tem muito a ver com o que acontece a nossa volta. Se puderem, leiam. Vale a pena.) Diz ela:
Esta semana eu assisti a um filme, Dúvida, de John Patrick Shanley. O filme começa com o sermão do padre Brendan Flynn (Philip Seymour Hoffman).- O que vocês fazem quando não têm certeza de algo?
Ele tece sobre dúvida, este sentimento que já abateu certamente cada um de nós ao menos uma vez na vida (senão ao mês, na semana, ao dia, por hora, minutos...). E conclui:
- A dúvida pode ser um elo tão poderoso e sustentável como a certeza.
Embora o filme narre o conflito travado entre os religiosos sobre o problema da pedofilia, ele serve para qualquer ser humano repensar sobre vários aspectos da vida cotidiana: o dualismo dúvida versus certeza, tolerância versus ceticismo, os males nunca reparados por uma fofoca espalhada, o desejo de manipulação e controle como forma de manter os outros subordinados aos seus interesses e idéias. A educação e fé como base de controle. E assim por diante...
Em uma das cenas, o sermão do Padre Flynn tirou o sono de muita gente. Ele conta uma história mais ou menos assim: Uma mulher vai se confessar com um padre e afirma que fez fofoca de algumas pessoas. O padre adverte a mulher e pede para que ela suba ao telhado de sua casa, rasgue um travesseiro com uma faca e depois regresse à Igreja. Ela segue as instruções do religioso, sem entender o que isso tem a ver com o pecado cometido, volta ao confessionário. O padre então pergunta se ela fez o que foi pedido. Ela afirma que sim, e que quando rasgou o travesseiro as penas voaram por todo o lado. O pároco então lhe diz: um"Você viu a quantidade de penas que voaram quando você rasgou o travesseiro? Agora você vai juntar todas elas, sem faltar uma sequer". Ela afirma que isso é impossível, pois as penas voaram para todos os lados. Então o padre fala: "É assim que acontece com a fofoca".
Quem já foi vítima de fofoca sabe do que estou falando. Hoje abri meu orkut e, por acaso, a minha sorte do dia era "Se quiser que alguém guarde o seu segredo, comece por você mesmo". Pena que há situações que fogem ao nosso controle e depois temos que escutar piadinhas por aí. E, algumas pessoas vestem os hábitos da Irmã Aloysius para apontar com sua mão de ferro e superioridade os "defeitos" de outrem. Enquanto isso, estas pessoas guardam debaixo das vestes os motivos que as levam a indicar com tanta veemência os defeitos dos outros.
O final do filme mostra a madre superiora junto à madre novata contando que mentiu para expulsar o padre de sua escola. No final do filme somos levados a fazer uma reflexão sobre quantas vezes somos capazes de cometer injustiças sem entender os motivos ou às vezes por raiva, por falta de compaixão, competitividade. Dúvida é um filme para ser absorvido para que não tenhamos que juntar as penas do travesseiro que o vento carrega invisivelmente e sem dó para todos os lados.
Do blog: decasoemcasa.blogspot.com
Obrigada, Flávia Werlang.

0 comentários:

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts