quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Felicidades Mil Para Todos em 2010!

1º de Janeiro de 2010
Quando acordarmos é mais uma chance que Deus nos dá de: redimirmos-nos dos nossos erros, pedirmos desculpas a quem mesmo involuntariamente ofendemos, agradecer aos que nos ajudaram, amarmos mais, ajudarmos a quem precisar (sem distinção) procurarmos ajuda (inclusive D’Ele), livrar-nos de nossas prepotências (não somos filhos únicos, mas irmãos de muitos).
Lembrar-nos-emos que a vida é um eterno compartilhar, dividir, ganhar, viver e deixar que viva, sonhar, realizar sonhos, cultivar esperanças e principalmente achar o caminho certo da vida que Ele planejou para nós. E aprendermos... Aproveitemos todas as oportunidades que tivermos para crescer espiritual e materialmente, pelo nosso valor. Agradeçamos muito, pois nem todos tiveram esta chance de chegar até aqui. Sempre é dia de melhorar, não existe nada perdido, acredite...
Desejo de coração que em 2010 sejamos muito felizes a cada dia que vivermos, pois cada dia que passamos é um milagre que não se renova mais.
E que não falte saúde, paz, prosperidade, alegria, harmonia em família, amigos verdadeiros, e muito amor no coração.
Só depende de nós...
Sonhe... Para ser feliz...
Acorde... Para realizar o seu sonho...
Seja um vencedor...
Feliz Ano Novo para todos!
AA: Ligia e Luiz.

Leia Mais

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Dez Letras

O jogo parecia ser fácil e o prêmio tentador: Felicidade. Foram inscritos muitos candidatos. Até os que se julgavam felizes queriam participar, e com as mais diversas intenções. As regras eram claras, todos deveriam fazer uma redação dizendo o que seria ‘FELICIDADE’, na concepção de cada um, e o que os deixaria mais felizes.
Jogo aberto foi dado a largada. Alguns se confundiam e já saíam atropelando os adversários. Outros se sentaram em seus ricos escritórios, contabilizando seus bens e preocupados em os aumentarem dez, cem vezes... Isso seria a felicidade para eles.
A feia achou que ganhando uma plástica geral já seria feliz. O velhinho, na fila do banco, olhou de soslaio para a jovem na outra ala, e suspirou, - Que felicidade se pudesse voltar a ser moço! E tinha pensamentos inconfessáveis...
Deus, um dos juizes invisíveis daquela competição, sabia o resultado final, mas queria observar o comportamento de cada um.
No parque, o bebê no carrinho, se jogava e esperneava querendo descer. Na certa estaria pensando, que feliz seria se pudesse estar brincando na areia, pisando a grama, etc. Todos queriam a felicidade não alcançada materialmente. A velhinha queria uma prótese dentaria, o cientista sonhava descobrir a formula da sabedoria. O mendigo trocaria de bom grado os papelões onde dormia, por um colchão e cobertor... Ninguém fugia a regra.
A luta continuava e os candidatos só tinham preocupações com seus propósitos, pois o tempo para apresentarem seus conceitos de felicidade estava terminando.
Menos para Job, menino de uns dez anos que tinha tudo, e só estava na competição por curiosidade infantil. Ele pensava: Será que felicidade é mais do que ter uma família unida, casa grande, carros na garagem, muito dinheiro no banco, boa escola, saúde, pais amorosos, e nada, absolutamente nada com que se preocupar!
Então, tomado pela preocupação e sentindo-se cansado, resolveu que não mais competiria, parou de escrever e foi dar uma volta pelo jardim. Queria pensar... Numa das voltas, viu aquele menino muito humilde (teria uns dez anos também) que, de rosto colado nas grades da bela casa, suspirava:
- Deve ser a maior felicidade correr naqueles jardins, escorregar na escadaria como se fosse carrinho de rolimã, será! Como eu, que não sei escrever escreveria ‘felicidade’? - Perguntou a si mesmo.
E assustou-se, quando ouviu aquela vozinha:
- Que quer aqui, menino?
- Estou procurando a felicidade, é aí que ela mora? – Devolveu o menino...
- Acho que sim! – respondeu Job.
- Deixe-me vê-la, por favor! Implorou ansioso, o menino pobre.
- Sim, venha comigo...
O segurança da mansão hesitou por uns instantes, antes de liberar a entrada do menino que conversava com o patrãozinho. Mas vendo simplicidade nos olhos daquela criança foi gentil e pediu que uma das arrumadeiras fizesse companhia aos meninos.
Dentro da casa, Job conseguiu que o menino fosse banhado, vestisse roupas adequadas e diante da mesa rica em guloseimas, sentaram-se os dois. E conversavam animadamente (coisas de crianças) enquanto comiam.
- Já vi muita coisa bonita, amigo, mas ainda não vi a felicidade?
Como que procurando, os olhos do menino se arregalavam a cada aposento visitado, e quando chegaram ao quarto de Job, a surpresa foi enorme.
- Uau! Esse quarto é só seu?
- É, quer jogar vídeo game?
- Sim, eu quero!
Job escolheu um jogo e brincaram por um bom tempo, até que o menino, interrompendo o game, indagou: - A felicidade mora aqui!
Falou Job:
- Bom, sou um menino e não sei ao certo, mas acho que sim... E estou muito feliz por você estar aqui!
E abraçaram-se ternamente.
- Estou sentindo o seu coração! Exclamou o menino, parecendo extasiado.
- E eu, o seu! Respondeu Job.
- É felicidade! Exclamaram quase a mesma voz.
E ficaram por mais alguns segundos abraçados como se fossem velhos amigos.
Um pouco mais tarde, hora da despedida. - Agora preciso ir, tenho que contar prá minha mãe que a felicidade está aqui, dentro de mim!
E correram em direção ao jardim. No portão, enquanto se despediam, Job falou:
- Volte quando quiser. Eu também sinto a felicidade! As duas mãos cruzadas sobre o peito tentavam manter controle sobre o coraçãozinho saltitante.
Enquanto isso, a competição corria acirrada. O premio: Felicidade...
Talvez fossem apenas dez letras escritas numa placa de um material qualquer, mas para aquelas duas crianças bastou um sentimento verdadeiro para deixá-los ainda mais felizes. Cada um na sua condição, sem precisar de concurso algum.
E o menino Job escreveu: Eu já tenho felicidade, e ela faz meu coração bater forte quando abraço um amigo, quando divido meus brinquedos com ele e quando o vejo ir embora contente.
Aquelas duas crianças tinham razão... A felicidade está conosco, onde estamos e no que possamos fazer para deixar nosso semelhante feliz.
E Deus viu muita gente se perder nos caminhos de uma busca por uma coisa que na verdade está dentro de cada um. Por que felicidade, antes de escrever as dez letras, é preciso sentir, e dividir.
A: Ligia.

Leia Mais

sábado, 26 de dezembro de 2009

Homenagem Póstuma a Minha Mãe...

“Minha Mãe, quanta saudade,
A sua ausência deixou,
Vivo bem mais perto dela,
Depois que Deus a levou...”

Custo a acreditar que já não a tenho. E lembrar que até bem pouco tempo eu pegava, acariciava a mãozinha frágil, debilitada. Os dedos já não tinham forças para entrelaçar outros dedos. Seu olhar, às vezes fixos num ponto qualquer, outras vezes, semi-fechado. E tão bonita!
Esteve muito doente e mesmo tendo emagrecido assustadoramente, ainda conservava traços de beleza. Quase uma Nossa Senhora! Agora descansa junto ao Criador.
Fica em paz querida mãe, guardarei dentro de mim a lembrança do seu sorriso e onde quer que esteja, veja que já não estou mais me sentindo sozinha.
Primeiro Natal sem a senhora! Não gostava de festas. Mais uma vez, tropecei nas emoções. Estendi a mão à procura da sua, como se fosse uma menininha. Eu, que estive o tempo todo ao seu lado, já não podia tocá-la.
Mãe querida... saudade doída...
Entenda que seu lugar agora é no fundo do meu coração. E é lá que deve ficar até o dia em que O Pai determinar que vá ao seu encontro. Enquanto isso querida, será só “SAUDADE” (nome que dei ao sentimento de carinho que se fundiu ao pesar pela falta que a senhora me faz).
Descanse em paz, sabendo que jamais será esquecida. Por que mesmo distante se faz presente? Deixe que fique esse laço invisível entre nós, só não puxe! Preciso preencher sozinha este vazio que fica, toda vez que em si penso.
E por todo esse amor, ofereço-lhe uma oração...
Sua benção! E que Deus a abençoe também...
A: Ligia.

Leia Mais

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Segunda Feira

Segunda feira... Tarefas cumpridas, caminho cansada, vinda de mais um dia de trabalho. Cheguei a pensar que não conseguiria. Faltaram-me forças, mas não fui vencida.
As esperanças devem ser renovadas, não a cada dia, e sim, a cada minuto. Já me considero vitoriosa mesmo sem ter alcançado o podium, sei que ele será o resultado da minha luta, a mais persistente. Sei também que terei que continuar lutando se quiser fazer valer a minha vitória.
Agora estou bem próximo a casa. Meus olhos têm um brilho diferente, o coração fica leve. A bolsa, antes apertada sob o braço, deixa sentir a mão ansiosa a procura das chaves.
Cheguei – penso alto – E agradeço a Deus ter-me permitido terminar este dia de luta, e trazer-me de volta sã e salva, ao aconchego do meu pequeno, e grande lar.
Depois os cumprimentos, um afago para ti-ti (a minha cachorrinha querida), respirar fundo e soltar a voz: Amanhã, novo dia!
É assim que me sinto bem.
Uma guerreira como eu jamais fugirá de uma luta.
A: Ligia.

Leia Mais

domingo, 20 de dezembro de 2009

Bendita Lagrima

Bendita a lagrima em que se cristaliza o acervo atroz de nossas dores e que dilui o negro fel de nossas mágoas.
Bendita a lagrima a cuja tona flutuam farrapos sombrios de sonhos dourados e em cujo fundo vagueiam espectros tristonhos de esperanças mortas.
Bendita a lagrima dos que carpem a desdita de nascerem sem teto e choram a desgraça de viverem sem pão.
Bendita a lagrima dos que jamais conheceram um afeto de mãe e nunca provaram um carinho de esposa.
Bendita a lagrima, desafogo amigo dos que são sós e consolo ardente dos que são tristes.
Bendita a lagrima dos que põe nos ombros a cruz de seu próximo e o ajudam a escalar o calvário da existência.
Bendita a lagrima dos que buscam, errantes, o calor de um afeto e somente encontram o frio de desprezo.
Bendita a lagrima dos que sofrem injustiças pelos ideais que defendem e só colhem ingratidões pelo bem que semeiam.
Bendita a lagrima que erige no cérebro um templo á Verdade e converte o coração num sacrário de Amor.
Bendita a lagrima que aflora, escaldante, nas noites do sofrimento e esplende como um sol nas manhãs da redenção.
Bendita, enfim, a lagrima, gotas de luz das auroras celestes e síntese terrena do orvalho divino.
A: Rubens C. Romanelli.

Leia Mais

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Solidão...

Hoje deixarei que meus pensamentos voem e meus dedos teclem o que o coração ditar. Neste final de semana convidei a solidão para ser minha companheira. Desta vez, fiz questão. Parece mentira, mas eu precisava desses momentos com o meu interior.
Comecei tentando juntar pequenas coisas, observando detalhes, logo desanimei. Aí veio o tédio, bem maior do que imaginei. Precisava construir alguma coisa para preencher aquele vazio, e como sempre, era o computador estava ali, estático, esperando, quase a dizer:
_Estou aqui, use-me!
Ousei fazer a coisa que mais gosto – escrever – comecei textos, receita culinária, poesias, inventei moda, nada funcionou.
E o tempo foi implacável comigo, não fez a mínima questão de passar rapidinho, como acontece quando nossos momentos são felizes.
Minhas lembranças desse final de semana hão de ficar profundamente guardadas... Bem guardadas. E vou fazer com que se transformem em lembranças difíceis até de serem lembradas. Preciso que seja assim!
Vejo-me parada, cabeça erguida, mas uma vontade imensa de chorar. Tenho que esperar o próximo final de semana...
Se pudesse voltaria no tempo e faria tudo diferente, ou, pelo menos tentaria. Só que agora as pernas já não obedecem. Os olhos turvam-se. Não hei de esperar desabar totalmente.

No pequeno espaço que ainda tenho sob os pés, giro sobre o próprio eixo, volto a sentar-me diante do computador e deixo que as lágrimas rolem a vontade.
Nunca vivi dias tão longos, tão vazios. E lembrar que foi minha a idéia de fazer diferente...
A: Ligia.

Leia Mais

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Lá vou eu... de férias...

Indo curtir férias. Tenham um ótimo Natal e um Ano Novo cheio de venturas... Até a volta, se o Sr. Deus assim o permitir.
Beijo de paz para todos...

Leia Mais

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Perto

Quem me dera sentir-te
Assim perto,
Agora que estou só,
No meu deserto,
Só vejo e piso areia,
Não existem sombras,
Nem meu coração
Consigo ouvir.
Gostaria de ter-te
Neste instante,
Aqui...
A: Ligia.

Leia Mais

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Tudo de Bom em 2010!

"Adeus ano velho, feliz ano novo,
Que tudo se realize no ano que vai nascer,
Muito dinheiro no bolso,
Saúde para dar e vender..."
Para vocês, com todo o meu carinho.
A: Ligia.

Leia Mais

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Ao meu amigo I.

Obrigada por confiar em mim. Como você pediu estou dando minha opinião.
Quer mesmo saber o que seja “Ler e Escrever?” Se lhe sai do coração é apenas a maneira de registrar o que queres que permaneça. Digamos que a mente ordene que se “escreva” no papel a letra “A” e a letra “I”, dependendo do momento, seu coração vai lhe dizer como será o som da palavra na hora da “leitura”. Sim, porque esse “AI” tanto pode ser um gemido de prazer quanto um grito de dor.
No seu caso em especial eu diria; escrever e ler são atributos do coração e quando é o coração que quer desabafar não existe regra, disciplina e nem mente que o controle.
Não entendi direito à parte em que diz: uma pessoa “importante” fez comentários depreciativos sobre seus escritos. Qual seria a real “importância” dessa pessoa? Um Crítico Literário... Ou um “chato” qualquer?...
E porque “VdP”? Um peixe precisa ser comprado, e fique certo que, sardinha ou bacalhau, vai fazer a alegria de quem o compra. Assim como uma apostila que ajudou um estudante, ou uma revista pornô que foi parar nas mãos de algum leitor safadinho.
Ninguém precisa achar-se “menor” porque valorizou demais alguém que não mereceu. O verdadeiro amor só conhece quem realmente sentiu isso vindo de dentro. Quem ouviu um “eu te amo...”, apenas ouviu.
E amor para sempre é aquele que quando chega a hora de se recolher, vai para um cantinho do coração, e lá fica, deixando livre a mente para que possa cultuá-lo em versos, prosas, até mesmo num novo amor.
Voltando ao principio do texto; Terá sido uma magoa assim tão grande? Se for, é hora de gritar, botar para fora... Deixar o vento levar as palavras... (Ufa! Fica um alívio no peito).
No fundo, até dá para entender. Disse-me um anjo que nas nossas vidas tudo tem um propósito e temos que cultuar só o que nos dá prazer, nem que seja uma grande dor. O “parto” compreende uma “grande dor”, e mesmo assim as “mamães” têm os seus filhinhos.
Meu amigo, *se ficar preocupado com o tamanho da estrada, se ficar pensando no cansaço, como pensas vencer a caminhada se não der o primeiro passo*.
Lembre-se: Só tem uma vitória que é sua... Aquela em que você lutou por ela. As outras, são conseqüências...
Não repare o meu jeito de escrever, tenho muito que aprender ainda. Só que não poderia deixá-lo sem resposta, conte comigo sempre que precisar.
*Bela frase, essa. Li em algum lugar, marcou...

Beijo com carinho,
Ligia.

Leia Mais

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Guirlanda de Natal




É chegado o NATAL, se você ainda não fez seu enfeite natalino, aproveite essa idéia. Esta linda guirlanda é bem fácil de fazer e fica uma gracinha. Mãos a obra...
Guirlanda de Natal
Materiais:
1 folha de EVA 2mm estampado de coração
1 folha de EVA 2mm brilho verde Kreateva (com glitter)
1 folha de EVA 2mm brilho vermelha Kreateva (com glitter)
Cola instantânea Brascola
Tesoura
Lápis comum
Passo a passo:
Transfira o molde da pétala da eufórbia para o EVA estampado.
Para cada guirlanda você vai montar 6 flores, e em cada flor tem que ter em media 10 pétalas, por isso desenhe no mínimo 60 pétalas de acordo com a foto apresentada.
Recorte um circulo para apoiar as pétalas. Faça um miolo no meio com o EVA vermelho e depois vá colocando as pétalas ao redor, bem juntinhas conforme a foto.
Monte a guirlanda com as seis flores feitas, e depois finalize colocando algumas folhas feitas no EVA verde com glitter.
Fonte: www.artesanatoeva.com

Leia Mais

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

A Vizinha da Outra Rua

(Uma história verdadeira)
Um dia, estando eu chegando muito cansada, ainda com alguns desafios a vencer, eis que dou de cara com a vizinha da outra rua, alegre e satisfeita tecendo lindos gorros em crochê. Aí, voltei no tempo e lembrei-me de quando a conheci.
Sempre que passava naquela rua, a via triste, taciturna, parecia que nada na vida a interessava. Comecei por cumprimentá-la, cada vez que a via. Até mudei meu itinerário, pois havia ficado deveras impressionada com aquela pessoa tão fragilizada, acabada. Para bem dizer, não era uma menina, mas também não era a velha que parecia ser. Depois fiquei sabendo que tinha pouquinho mais de trinta anos. Jovem mulher, muita vida pela frente...
Comecei a parar por uns minutos, inventava assunto e acabamos estreitando uma amizade. Soube que se chamava Sandra e tinha voltado para a casa da senhora sua mãe. Aos poucos, começou a falar-me da sua vida. Havia perdido uma mama por causa de um tumor maligno, e foi abandonada pelo marido com quem era recém casada, por puro preconceito dele. Achava-se sem condições de lutar contra a depressão e muita vez havia se recusado a tomar os remédios que a ajudariam a vencer a crise. Queria morrer. E falou que ficava nos cantos do quintal para a mãe (que cuidava dos afazeres da casa) não a visse chorar.
Navegando na internet, fiquei sabendo que alguns hospitais da rede pública já ofereciam um tipo de cirurgia gratuita para reconstrução da mama em pessoas nessa situação. Pesquisei muito, e de posse de algumas informações, comecei a conversar com Sandra. Confesso que tive que insistir muito até ela começar a prestar atenção. Um dia acabou cedendo. E começamos as peregrinações pelos hospitais, quando ela não podia ir, era eu que saía em busca de maiores detalhes sobre os procedimentos. Foi longa a procura, longa e dolorosa. Por vezes, era a própria Sandra que não me deixava desistir.
Hoje, ela está inscrita na fila para a cirurgia, esperando a chamada para começar os exames complementares. É bem provável que até o mês janeiro ou fevereiro 2010, Sandra esteja operada e com seio novo. Demorou um pouco, nós sabemos, mais isso não diminuiu a nossa fé e nem o nosso entusiasmo. Deus permitiu que ela conseguisse acompanhamento médico e psicológico na própria instituição onde deverá ocorrer a cirurgia, e com certeza tudo sairá muito bem.
Quem vê essa jovem senhora hoje, encontra uma pessoa mais alegre, humorada. Ainda tem momentos de depressão, desânimos passageiros, mas a vejo bem mais esperançosa do que uns dois anos atráz (mais ou menos), quando se mudou para a rua perto da minha. (Psiu! Já tem até um candidato a namorado, viu!)
Ao parar para o costumeiro papinho, fiquei sabendo que os gorrinhos (toucas) são para as criancinhas do INCA (Instituto Nacional do Câncer) que perdem os cabelinhos por causa do tratamento de quimioterapia.
Lembrei-me de um provérbio que diz: _ “Quem enxuga lagrimas alheias, não tem tempo para chorar”.
Pude meditar que a vida é uma eterna lembrança. O que vivemos hoje, e o que fizemos no passado, são o impulsionador do nosso futuro. Com forças renovadas, me preparei para a luta, pois o dever me chamava...
E vi transformada num pequeno grão de areia, a montanha que teria que escalar.
Este episódio foi um grande aprimoramento para mim.
Publicada com autorização de Sandra Lúcia Gomes da Silva.
A: Ligia.

Leia Mais

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Presente de Aniversário Especial... 3000 visitas

Fiquei emocionada quando entrei na página e vi cravada a marquinha de 3000 visitas. Obrigada a todas as pessoas que me dão essa força, embora tenha muito que aprender ainda, hoje me senti "Blogueira" de verdade.

Estou feliz, muito feliz. Foi o melhor presente deste dia...
Valeu minhas amigas blogueiras, visitantes e todos aqueles que, mesmo por um minutinho param neste blog.
Beijo de paz...

Leia Mais

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Um Tempinho para Reflexão...

Mesmo com aqueles afazeres que tomam tanto do nosso tempo nos finais de ano, ainda encontramos uma coisinha aqui outro ali que fica bem guardado e só aparece nesta hora. Nestes dias estou bem atarefada, trabalhando bastante junto à coordenadoria do grupo da qual faço parte para dar um natal mais alegre às criancinhas da creche.
Veja que belo poema!
Não tem conotação religiosa, mas é tão bonita, tão lúdica, você vai gostar.
Ave Maria
Algo se passa no acaso,
O sol, põe-se no horizonte,
Aspiro aos eflúvios santos,
Erguendo uma prece.
Prece que fala de saudade,
Deste amor que nasceu como uma flor,
Desabrochando para a vida.
Enlaço minhas mãos em rogo:
Oh Deus, vois que sois grandioso,
Baixai vossos olhos sobre nossas almas,
Fazei dos nossos caminhos,
Uma só conseqüência,
Livrai-nos das almas nefandas,
Eu vos peço, eu vos rogo,
Colocai flores, em vez de pedras,
Em nosso itinerário,
Transformais esta união,
No passo colorido,
No eterno rutilo das estrelas,
Transportais, oh Deus!...
Minha fé, até o seio amado,
E que eu sinta o calor divino,
Em replica.
Vos peço ainda...
Fazeis de mim, um homem,
Que eu traga no olhar o brilho da paz,
De minha amada, fazeis meu motivo de viver.
Eu vos rogo, vos imploro... Amem.
Autor: Marcelo Haroldo.

Leia Mais

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Pagando Selinhos, rs.





Ainda faltam alguns. Bjs.







Leia Mais

sábado, 7 de novembro de 2009

Ao Fechar a Porta

Você bateu na porta,

Eu abri
Estava com sede
Eu dei água
Calmamente perguntou sobre minha vida
E pouco a pouco fui contando tudo
Lemos juntos cada folha do livro da minha vida
Rapidamente falou de amor, amizade, paz
Rapidamente, me passou tanta confiança
De repente, estávamos na mesma mesa jantando
Passeávamos no mesmo jardim
Você tocou a música
Eu dancei
Me ensinou novo passos
Eu me acostumei
Me fez vestir novas roupas
Mudou o meu perfume!
Você cantava
E ao som da tua voz o sol nascia,
A noite falava,
O vento parava ou corria
Meu coração aprendia a viver
Sem aviso, rapidamente
Você passava longe da porta!
Agora eu tinha sede
E não havia água, você levou!
Agora eu que perguntava sobre minha vida!
Você a levou também!
O final ficou muito perto do primeiro capítulo
Tudo silenciou
De repente, até a comida sumiu da mesa
E as flores murcharam no jardim
Não havia mais música
Nem dança
O vento parou
O coração parou
Num ponto doloroso de interrogação.
Autor: Jackson Ângelo.
27/10/2009

Leia Mais

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Pensamentos e Dúvidas

Se ficar pensando ou tentando descobrir o que gostaria de escrever, de certo não escreveria nada. Mais eu preciso escrever, eu sinto uma necessidade enorme de escrever. Neste momento estou engasgada, as palavras estão dentro de mim, gritando para saírem. Embora nem sempre acerte as palavras, tenho que atender esse grito.
São tantas histórias, vivências, embaralhando minha mente. Atenho-me no presente, pois passado é passado, só não ouso arriscar em querer prever o futuro, (não tenho nada de vidente).
Sei que vivo, raciocino, não tanto quanto gostaria, mas estamos aí!
Vou indo a passos lentos, tipo assim, três para frente e dois para traz. Contudo, consigo rir das minhas deficiências. Nos meus passinhos lentos, cuidadosos, vou caminhando absorvida por uma meditação interior.
O meu medo não é o futuro, e sim, o passado do qual não posso fugir. Em mim a esperança de não repetir os erros. Olhar para traz, apenas para ter a certeza que superei muitos obstáculos. Sinto em cada batimento do coração, o sopro da minha vida e, a cada passo avançado, é menor o espaço que me separa da vitória. Ainda que pequena, mas eu lutarei por ela.
A: Ligia.

Leia Mais

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Coragem


Se você está percorrendo o caminho dos seus verdadeiros sonhos, comprometa-se com ele. Não deixe a porta de saída aberta com a desculpa:
”Ainda não é bem isso que eu queria”. Esta frase guarda dentro dela a semente da derrota. Assuma o seu caminho. Mesmo que precise dar passos incertos, mesmo que saiba que pode fazer melhor o que está fazendo. Se você aceitar suas possibilidades no presente, vai melhorar no futuro. Mas, se negar suas limitações, jamais se verá livre delas.
Enfrente seu caminho com coragem, não tenha medo da crítica dos outros.
A: Paulo Coelho.

Leia Mais

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Amiga Moon

Descobri um site onde ensina passo a passo a confeccionar um blanck button, aí é só trocar o blank button pela figura que você escolher. Inclusive este site é super interessante, vale a pena uma visita. O site é: vickys.com.br – acesse o link: Artigos e tutoriais, opção Como escrever nos blank buttons. Acompanhe o passo a passo e faça o seu selinho personalizado, ok!
E é tudo feito no Paint.

Leia Mais

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Sempre Temos o Que Agradecer

Agradeço

Agradeço pelo dia de ontem,
Onde a felicidade se fez presente.
Agradeço a noite de descanso,
Onde os bons sonhos reinaram.
E isso tudo só aconteceu graças a você.
Tuas palavras me trouxeram: Força, Paz, Alegria e Felicidades.
Força para lutar e superar as dificuldades,
Alegria pelo simples prazer de viver,
Paz porque acalmou meu coração,
Felicidade porque só é feliz quem ama,
E me ensinaste a amar novamente.
Enfim obrigado por você existir e cruzar a minha caminhada.
Deus... Muito obrigada.
Copiei.

Leia Mais

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Selinhos Para as Amigas







Para retribuir o carinho de vocês, estarei postando selinhos. Quem quiser, pode buscar o seu. Bjs de paz.

Leia Mais

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Para amigas e visitantes deste Blog

Silmara, Isa, Ariane, Cris, Sol e Luar, Dryka, Guita, Fátima, Sabor de Amor, Maysha, Nina, e as mais novas Moon e Mycatbd. Obrigada pela presença amiga. Mesmo longe, sei que estão por perto.
Aos visitantes, sintam-se homenageados também.
Beijo de paz.

Leia Mais

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Creio em Teu Amor


Creio em teu amor

Em teu amor incontido
Que me leva ao paraíso
Que me faz cada dia mais feliz.
O nosso amor assemelha-se
Uma pedra tão polida
Transparente, lúcida.
Creio na verdadeDe cada palavra declarada.
Do teu amor por mim.
No esplendor que lampeja
Toda fagulha radiosa da chama
Que é você... Você... O meu amor...
Creio na brancura dos teus cabelos
Que para mim representam
Mas transparências,
Representam experiências,
Me fortalece a vida, contemplando,
Tua face cada dia mais...
Creio em tudo
Que ouvir com cuidado.
Da tua boca de amado
Que guardado bem guardado!
Confiastes-me secretos,
Segredos, teus...
Segredos meus...
Autora: Marina Nunes.

Leia Mais

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Os Três Últimos Desejos de Alexandre, o Grande

Quando à beira da morte, Alexandre convocou os seus generais e relatou seus três últimos desejos:
1 - Que seu caixão fosse transportado pelas mãos dos médicos da época;
2 - Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo os seus tesouros conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...); e
3 - Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos. Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a Alexandre quais as razões. Alexandre explicou:
1 - Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar que eles NÃO têm poder de cura perante a morte;
2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3 - Quero que minhas mãos balancem ao vento para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos e de mãos vazias partimos...
Moral da história:
O grande homem é silenciosamente bom...
É genial - mas não exibe gênio...
É poderoso - mas não ostenta poder...
Socorre a todos - sem precipitação...
É puro - mas não vocifera contra os impuros...
Adora o que é sagrado - mas sem fanatismo...
Carrega fardos pesados - com leveza e sem gemido...
Domina - mas sem insolência...
É humilde - mas sem servilismo...
Fala a grandes distâncias - mas sem gritar...
Ama - sem se oferecer...
Faz bem a todos - antes que se perceba...
Rasga caminhos novos - sem esmagar ninguém...
Abre largos espaços - sem arrombar portas...
Entra no coração humano - sem saber como...
É como o Sol - assaz poderoso para sustentar um sistema planetário e, assaz delicado para beijar uma pétala de flor...
Assim é, e assim age o homem verdadeiramente grande - porque é instrumento nas mãos de Deus.
Colaboração: Padre Carlos Augusto.

Leia Mais

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Poema da Amiga

Você veio assim:
Bem devagar, sem propósitos não causar.
Atravessou meu caminho com candura.
Veio abrilhantar meu conhecimento de pessoa.
Um ser tão especial, que não temos linguagem certa para definir tamanho carinho e atenção.
Fez dos dias de sol, a magia mais quente.
Fez dos dias de luar, a luz mais evidente.
Às vezes vira até vidente.
Por me dar incentivo que me deixa contente.
E seguir minha vida em frente.
Eu poderia transformar meus sentimentos de carinho,
Com a mais bela das poesias.
Mas me fugiria da minha própria personalidade e razão.
Em querer profundamente expressar,
O carinho que tenho por você.
A gente aprende com aqueles que têm conhecimento,
Como a vida é boa e ainda existem pessoas boas,
Fazendo parte delas.
Obrigada por me deixar fazer parte do seu livro da vida.
Obrigada por ser o personagem das minhas páginas.
Obrigada por ser esse amigo generoso fabuloso,
Sempre prestes a ajudar nos momentos que mais preciso.
Obrigada por ser quem é!
Colaboração: Dite Santos.

Leia Mais

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Profundo

Dentro de mim,
Um coração descompassado,
Que insiste, e não desiste,
De me fazer sofrer.
Na mente, a ilusão que um dia,
Ele possa, enfim compreender.
Amor passado,
Tão pouco durou,
Nem marcou espaço,
Foi-se embora, assim como veio,
Recusou-se a ficar preso,
No meu abraço.
Mãos soltas, braços vazios,
E eu, ainda espero,
Quem sabe uma palavra
Dita assim,
Como quem não quer nada,
Sussurros de uma alma,
Apaixonada.
Magoas, decepções,
Desejos de fingir,
Que poderia ter acontecido,
Tudo, e nada.
Eis que divago,
Até o infinito,
Onde o meu amor,
Decerto está agora...
... Escondido.
A: Ligia.

Leia Mais

sábado, 10 de outubro de 2009

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento,
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto,
Que mesmo em face do maior encanto,
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento,
E em seu louvor hei de espalhar meu canto,
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure,
Quem sabe a morte, angústia de quem vive,
Quem sabe a solidão, fim de quem ama.

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama,
Mas que seja infinito enquanto dure.
A: Vinicius de Moraes.

Leia Mais

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Andar

Andar...
Andar com fé...
É saber que cada dia é um recomeço,
E que os sonhos podem se realizar.
É olhar sem temor as portas do desconhecido,
Ter a inocência dos olhos da criança, a lealdade do cão,
A beleza da mão estendida para dar e receber,
É ter a certeza de que o melhor sempre acontece,
E que tudo aquilo que almejamos,
Está totalmente ao nosso alcance.
Copiado.

Leia Mais

Pega Silmara, esse é seu!

Demorou, mas aconteceu. Hoje vim homenagear a nossa amiga Silmara. Todas são merecedoras, pois cada uma de vocês tem sido uma mestra em potencial. Esta jovem foi quem primeiro acreditou em mim, minha primeira seguidora. Tenho muito que aprender ainda, e como a vida é um eterno aprendizado, lá vou eu. Quero agradecer a todos, amigas(os) blogueiras(os), leitoras(es) e todos que, mesmo correndo, passam por este humilde Blog. Espero poder continuar contando com vocês. Beijos de paz.

Leia Mais

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Espero a Felicidade

Quero fazer uma poesia linda,
Que fale de amor e de felicidade,
Quero achar que posso tudo nesta vida,
Mas na hora de amar, eu sou covarde.

Seja caminhando no Aterro do Flamengo,
Ou voando a esmo numa direção qualquer,
Seja andando de encontro ao vento,
Ou sentadinha num banco, com um livro a ler.

Desde quando amar virou pecado,
Desde quando querer é vaidade,
Se o bem que é trocado é verdadeiro,
Esse bem pode virar felicidade.
Vencendo minhas barreiras, os meus medos,
Eu solto a voz até o infinito,
Não querendo gritar os meus segredos,
Esse grito de amor... É o meu grito...
A: Ligia.

Leia Mais

domingo, 4 de outubro de 2009

DIA DA CRIANÇA - Todos os dias

A comemoração no Brasil ,
A iniciativa de criar um dia especialmente dedicado às crianças foi do deputado federal Galdino do Valle Filho, ainda na década de 1920. Depois de aprovada pelos deputados, o 12 de outubro foi oficializado como Dia da Criança pelo presidente Arthur Bernardes, por meio do decreto nº. 4867, de 5 de novembro de 1924. Mas a data só "pegou" mesmo em 1960, quando Eber Alfred Goldberg, diretor comercial da Fábrica de Brinquedos Estrela, fez uma promoção conjunta com a Johnson & Johnson para lançar a "Semana do Bebê Robusto". Logo depois, as empresas decidiram criar a Semana da Criança, como meio de aumentar as vendas. Como a proposta surgiu no final de junho e os organizadores pretendiam fazer algo ainda naquele ano, o mês escolhido para a comemoração acabou sendo outubro. A idéia foi um êxito. No ano seguinte, os fabricantes de brinquedos decidiram escolher um único dia para a promoção e "ressuscitaram" o antigo decreto. A partir daí, o 12 de outubro se transformou em uma das datas mais importantes do ano para o setor de brinquedos.
Enquanto isso, em outros países...
No Brasil, o Dia da Criança é 12 de outubro. A Organização das Nações Unidas definiu 20 de novembro como Dia Universal da Criança.
Vamos ver quando a data é comemorada em alguns países?
Índia - 15 de novembro
Portugal - 1º de junho
China - 5 de maio
Japão - 5 de maio
No Japão, a festa é para os meninos.
No Japão, o Dia das Crianças é comemorado desde a Antiguidade, sempre no dia 5 de maio. Apesar da tradição, a data só foi transformada em feriado nacional a partir de 1948. Embora seja chamado Dia das Crianças, a comemoração é dedicada apenas aos garotos.
Nessa época, as famílias que têm filhos homens penduram pequenas bandeirolas do lado de fora das casas – elas representam carpas, que são símbolos de força -, fazem exposições de bonecos de samurai e armaduras e cozinham bolos especiais de arroz.
Para as meninas é realizada a Festa das Bonecas, ou Hina Matsuri, no dia 3 de março. Neste dia, as famílias que têm filhas mulheres fazem uma exposição de bonecas, que representam a antiga corte imperial, e comemoram bebendo um tipo especial de saquê branco e adocicado.
Fonte: Canal Kids.

Leia Mais

Amigos

Clique na imagem...

Leia Mais

sábado, 3 de outubro de 2009

Curso de Flores


Benedita,

Altamira,

Edilma,

Solange, e

Terezinha.

Tenham um ótimo final de semana, com saúde, paz e muitas alegrias. Meu abraço carinhoso.

Leia Mais

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Vamos Fazer um Selinho?


Olá amigas, tudo bem? Selinho virou moda. Gostando muito, pouco, ou não gostando, a gente sempre se emociona quando é lembrada através de um selinho, não é verdade?
Descobri um site onde ensina passo a passo a confeccionar um blanck button, aí é só trocar o blank button pela figura que você escolher. Inclusive este site é super interessante, vale a pena uma visita. O site é: vickys.com.br – acesse o link: Artigos e tutoriais, opção Como escrever nos blank buttons. Acompanhe o passo a passo e faça o seu selinho personalizado, ok!
Esse selinho eu fiz por lá. Não ficou bonitinho?

Leia Mais

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Sou Feliz da Vida!

"Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um não.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo...”
De: Fernando Pessoa.

Leia Mais

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Começo de História


Ficou o texto inacabado,
De tantos que comecei a escrever,
Cada letra, cada traço mal riscado,
Dizia tudo o que eu não quis dizer.
Incompletas, as frases foram ficando.
Sem rimas, sem nexo... Bobagens,
Coisas tolas, difíceis de compreender,
Impossíveis ainda mais de comentar.

Não liguem, minhas histórias são assim,
Não tem começo, nem meio, nem fim,
São somente coisas,
Que vem da minha alma,
Essências saídas de dentro de mim,
Do fundinho do meu coração,
E que, quando passadas para o papel,
Acabam se transformando,
Numa tremenda confusão...
A: Ligia.

Leia Mais

Que coisinha mais fofa!



Olhem só o que achei no blog da amiga Janice. Acho que combina com meninas de qualquer idade. E lá tem mais, cada uma mais linda que a outra. Estas foram as que mais gostei, passem por lá, vão encontrar outras novidades muito criativas...
janice-doceencanto.blogspot.com

Leia Mais

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Criança, o presente e o futuro

Quem não foi criança?
Era uma vez, eu tão triste,
Tinha perdido a esperança,
Fui procurá-la no fundo,
Dos olhos de uma criança.

Seu rostinho triste, abatido,
E as lágrimas escorrendo,
Parecia me dizer:
_Tia, como eu estou sofrendo.

No seu corpo, só um trapo,
Resto que ganhou de alguém,
Na mão um brinquedo velho,
Nem chinelinho ela tem.

Porquê? Perguntei a mim mesma,
Criança tem que sofrer?
E se são delas o futuro,
Elas não podem morrer!

Enquanto há vida, há esperança,
Crianças devem crescer,
Com amor, estudo e vida,
Pra poder nos suceder.

_Olhe em meus olhos, menina,
Ainda guardo a lembrança,
Você me faz recordar,
Os meus tempos de criança...
A: Ligia.
Obs. Se não cuidarmos das crianças, não teremos adultos.

Leia Mais

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Diário, Coisas do Coração


Diário...
Tempo bom aquele, dias felizes, romantismo no ar, pureza de sentimentos. Tudo escrito, agendado num caderninho de capa colorida feita com papel de presente.
Diário, tive o meu e sei de muitas amigas que tiveram também.
Diário era uma espécie de confidente, posso dizer que era quase uma relíquia. Nele depositávamos tudo aquilo que o dia a dia nos proporcionava e não tínhamos coragem de dividir com ninguém. Fosse alegria, tristeza, ou um simples oi.
Era uma espécie de irmã mais velha, um conselheiro, eu diria... Ou travesseiro, lencinho de papel. Quem sabe, aquele melhor amigo.
Ainda deve ter quem o guarde.
Todos os dias tinham histórias para o nosso diário, isso até entrar naquela fase em que a vida começa a correr, o tempo escasseia, e ele, o diário, vai parar no fundo da gaveta ou de um velho baú. (Será que ainda existem baús?)
E ficava lá, esperando ser requisitado, cada vez mais raramente...
Só a dona sabia seus segredos. Um sol, flores, o céu estrelado, os coraçõezinhos desenhado juntos e pintados de vermelho, o cupido com sua flecha, a estrela cadente, enigma que seria decifrado somente por um alguém que, na sua inocência, se julgasse apaixonado.
Diário, onde a conversa desenrolava sem bloqueios, sem censura, e era tratado como se fosse o primeiro namorado. Escrever desanuviava o espírito, liberava as emoções. O baton carmim escondido na bolsa desenhava a boca que marcaria o papel. Só mesmo aquele caderninho sabia explicar o inexplicável, transformar rabiscos em sentimentos. E não reclamava quando alguma lágrima manchava uma de suas páginas.
Uma coisa é certa, quem já teve um diário e nele colocou emoções vividas ou sentidas, nunca o esquecerá. Nós sabemos que palavras o vento leva, e o que for escrito permanece... Bem oculto, às vezes sufocado, mais vivo para sempre no íntimo de quem um dia viveu sua adolescência, e, guardou em si um pouco daquela ingenuidade mágica dos tempos do diário.
A: Ligia.

Leia Mais

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Faça Agora

(Dez conselhos para assumir o controle sobre sua vida)
É hora de prestar mais atenção a você. Os psicólogos Wallace Hetmanek da Unati/Uerj e Mariana Córdova do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) também da Uerj reuniram dez conselhos muito úteis.
Seja positivo, e a vida irá lhe retribuir, trazendo sensações de prazer e satisfação. Ser positivo é ter fé, acreditar nas oportunidades, na vitória, no mundo, esperando sempre o melhor da vida
Torne-se presente. Fique atento ao presente, a você, a sua volta, o que irá possibilitar uma tomada de consciência muito valiosa das suas necessidades. Tendo controle sobre o funcionamento do seu corpo e mente, saberá com tranqüilidade, quando convidado a sair de seu eixo de equilíbrio e a hora de afastar-se ou de aproximar-se.
Concentre-se no aqui e agora.
Reencontre-se. Resgate seu amor por si e pelo próximo. Encontre o amor, o respeito e o perdão que lhe cabem dar e receber. Busque recuperar o amor, sentir seu coração aquecido, se permitindo experimentar o sentimento de bem querer a vida que envolve o estado amoroso. Uma boa forma é começar sendo gentil com você mesmo!
Caminhe de acordo com os seus sonhos. Sonho é feito, no mínimo, para ser sonhado. Você tem o direito de querer ir para onde está indo, portanto, persista naquilo que é verdadeiramente importante para você, faça isso também pelas pessoas que ama.
Planeje. Tenha rotas e planos sobre a vida e o que quiser melhorar. Crie recursos e os desenvolva. Sejam esses recursos pessoais, profissionais, amorosos ou de qualquer tipo. Desenvolva também sua capacidade de planejar e pense; os planos precisam da sua ação para acontecer.
Cometa erros. Lembre-se: podemos sempre vencer em nossa mente, dependendo da maneira como a usamos. Há sempre espaço para as vitórias, não se preocupe tanto com os seus ‘erros’, pois eles fazem parte de um tipo de aprendizado, em geral, tem a ver com culpa, que quase nunca está no passado, numa avaliação critica, se for assim, talvez tenha sido o melhor que fez naquelas circunstancias especificas, desculpe-se, quando a situação permite, pois você usou o melhor de seus recursos.
Estique sua mente e seu corpo. Troque afeto, compartilhe experiências, enriqueça seu repertorio de caricias, pratique exercícios. Experimente algumas das formas de estar no mundo, mudando de caminho em sua rotina, converse com desconhecidos em espaços públicos, pergunte, olhe mais a cima e mais por baixo. “a mente é como um pára-quedas, funciona melhor aberto”.
Assuma as responsabilidades sobre suas ações. É a melhor maneira de estar em contato com o seu Adulto. É quando você pode experimentar sensações de integração, de maior autoconfiança e não abrir mão de sentir-se culpado. Antes de apontar o dedo para o outro, faça o exercício de atribuir a você a responsabilidade por algo que não saiu como esperava ou desejava.
Olhe mais para você. Abra mão de querer ter o melhor de outras pessoas, o tempo todo. Essa atitude não é justa com você, os seus sonhos e o seu próprio tempo.
Mantenha o foco. Mantenha o foco em sua felicidade, pois, como tudo aquilo que você foca, ela irá se expandir. Decida com o coração e a cabeça nas horas difíceis. Diante do que quer, não titubeie, vá a luta e conquiste.
Por: Dr. Wallace Hetmanek e Dra. Mariana Córdova (psicólogos).

Leia Mais

sábado, 19 de setembro de 2009

OLÁ FAMÍLIA, TUDO BEM?

Deixei esta mensagem para avisar-lhes que estou provisóriamente sem computador, (hoje estou na Lan House). Desejo a todos um final de semana com muita alegria, saúde e felicidade. Depois descansem um pouquinho, pois ninguém é de ferro. Beijos fofos para os pequenos e até breve.
Já estou com saudades.
Beijo de paz.

Leia Mais

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Curiosidades... 7 - 8 - 9

7) Por que há uma espécie de 'Choque' quando se bate o cotovelo na quina da mesa?
A reação é causada pela compressão de um nervo chamado ulnar.
No cotovelo, o nervo ulnar está muito exposto, ficando suscetível a pancadas.
Esse nervo está ligado aos dedos mínimo e anular. Por isso, a sensação de choque se espalha do cotovelo até esses dois dedos.

8) Estalar os dedos engrossa as articulações?
Não. Ao esticar o dedo, o líquido sinovial lubrificante da articulação responsável por diminuir o atrito se desloca sob o vácuo formado entre as articulações, fazendo o barulho do estalo', ensina o ortopedista cirurgião de mãos Luís Nakashima.
O mesmo fenômeno pode ser percebido nas costas e nos joelhos.
Provocar o estalo no dedo não faz mal algum.

9) Por que tenho a impressão de já ter visto um lugar onde
nunca estive?

A sensação de 'déjá vu' pode acontecer com quase todos e tem origem biológica. O hipocampo - região do cérebro responsável pelo processamento da memória - é ativado fora de hora, exatamente quando está ocorrendo um fato novo, dando a impressão de que aquilo já estava registrado, de que é um fato do passado.
O evento é mais freqüente em pessoas com epilepsia no lobo temporal e isso, provavelmente, está relacionado com 'disparo' anormal do hipocampo, um dos centros cerebrais da memória', explica o psiquiatra Roberto Sassi.
Mas isso não implica que pessoas que tenham 'déjá vu' sofram de epilepsia.
Fonte: Internet.

Leia Mais

sábado, 12 de setembro de 2009

Beba Com Moderação...

Um copo só.
Para evitar os típicos acidentes por excesso de alcool em festas e nos finais de semana, iniciamos uma campanha para incentivar que só se permita UM copo de cerveja por pessoa... Para o bem de todos.

Gente, é só uma brincadeirinha, rs.

Leia Mais

Novo Dia


Abro as janelas do vento,
Em ondas de emoções e de lamentos,
Resquícios de folhas secas já pisadas,
De um outono anunciado ainda perdido.
Varandas de solidão desse passado,
Refletem-se na aurora que sorri.
Devagar, timidamente,
Em passos que se desdobram,
Surgem novelos de anseios,
Sentimentos escondidos,
Suspensos em fiapos de esperança,
Que desabrocham lentamente,
Na aurora que se vislumbra,
Abro-me a um novo dia,
Caminho silenciosa,
Desato nós, desfaço laços,
Transformo o choro em vontade.
A: Maysha.
Visitem-na em seu Blog: mayshay.blogspot.com

Leia Mais

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Quem Tem Medo


Vou achar um lugar para ficar bem quietinha. Não quero que saibam que chorei. Por acaso, se alguém ver e perguntar, eu direi que chorei de alegria.
Fiz felizes os meus dias, eu que jamais imaginei. Talvez por acreditar que nunca me enganei.
Vou achar um lugar onde possa ser simplesmente eu.
E pensar que fui semente, dei flor, fruto, até virar folha seca jogada ao chão e ser levada pelo vento. Aí, parar num canto qualquer e começar a decompor-se, virar adubo e fortalecer uma nova semente.
Se não for eu, alguém a cuidará, e não terei medo de vê-la crescer.
E não terei medo de vê-la morrer.
É morrendo que se volta a viver.
A: Ligia.

Leia Mais

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Amigo Virtual


Especialmente para você
Fico sempre tentando construir um rosto, um sorriso seu,
escondido atrás desta tela... Imagino sua voz, o seu olhar,
o seu jeito de teclar, a maneira de sentar... Imagino o cenário:
um lugar apertadinho no quarto, um vasto escritório com
tudo no lugar, um ambiente de trabalho, ar condicionado...
Talvez um calor de rachar!
Tudo posso imaginar. Mas o que realmente importa é o que
vem de dentro de você e chega a mim.
Sua vontade de participar da minha vida e dos meus sonhos.
Um jeito só seu de me acarinhar dizendo palavras certas no
momento em que eu mais precisava delas; a sua emoção ao
encontrar-se nos meus versos, a lágrima de cumplicidade,
o sorriso de amizade, os ouvidos que cede para minhas
lamúrias e o aplauso às minhas venturas.
Sei que está aí a qualquer hora! Abro o meu coração e você me
abre o seu. Não vejo seus olhos, mas desnudo sua alma.
Não sinto o seu abraço, mas percebo o seu calor.
Eu não o engano e você não tem razões para me enganar.
Por tudo isso e por tantas coisas mais é que lhe digo sem vacilar:
A verdadeira amizade tolera obstáculos que o amor não consegue suportar...
Prefiro ter um amigo como você a um estranho para amar.
A: Desconheço o autor.

Leia Mais

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Curiosidades... 4 - 5 - 6

4) De onde vem a cãibra?
Segundo o neurologista Acary Oliveira, da Unifesp, 95% da população já
experimentou esse espasmo muscular, em geral na barriga da perna.
Após intensa atividade física, acaba a energia e a musculatura se contrai e não relaxa. Para passar, o segredo é contrair o músculo oposto ao que está doendo, como fazem os jogadores de futebol.
Se a câimbra for na barriga da perna, por exemplo, basta alongar os músculos da parte da frente, puxando a ponta do pé para cima, em direção a canela.

5) O que causa o arroto?
Também chamado eructação, o arroto é causado pelo ato de engolir ar (aerofagia).
Falar ou comer muito rápido, engolindo ar, são as causas mais comuns.
Ingerir alguma substância que contenha gás, como refrigerante, pode ser outra causa provável. A cura não é muito educada.
Basta 'eructar’.

6) Por que, às vezes, meu olho treme?
O espasmo das pálpebras é causado pela contração do músculo orbicular (músculo responsável pelo fechamento das pálpebras).
A causa mais provável é que seja provocado pelo cansaço ou tensão.
'É como uma cãibra', explica o oftalmologista Paulo Henrique, da Unifesp.
O músculo se movimenta rápido para fazer circular mais sangue na região e dissipar o ácido lático, responsável pela irritação na terminação nervosa.
Fonte: Internet.

Leia Mais

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Meu 4º selinho


Agradeço a amiga Maysha, do blog “Sexto Sentido”, a indicação a este selinho, que é tudo de bom, e repasso-o as amigas:
drykalove.blogspot.com
nina-simplesmente.blogspot.com
silmara'r.blogspot.com
maria-maricota.blogspot.com
julycroche.blogspot.com
tudoquegostamos.blogspot.com
rosanirosa.blogspot.com
vivianeartes.blogspot.com
gracieladacunha.blogspot.com
Falar de mim mesma é difícil, mas como tenho que citar cinco características minhas, eu direi:
1) Sou persistente.
2) Amiga sincera.
3) Um pouco teimosa.
4) Otimista.
5) Generosa.
Para aquelas que por acaso não foram citadas, mas que são fãs de selinhos, fiquem a vontade para pegarem o que gostar.
Beijo de paz.

Leia Mais

Curiosidades... 1 - 2 - 3

1) Por que a gente soluça?
Soluço é a contração involuntária do músculo do diafragma, responsável pela respiração. O soluço geralmente é causado por uma irritação no nervo frênico, responsável por ativar o diafragma devido a um aumento do volume do estômago.
E não é lenda a história de que um susto pode curar o 'soluçante', pois libera adrenalina e ativa o nervo frênico, outra saída é a água gelada, que provoca o
mesmo efeito.

2) Ih, meu pé dormiu!
Isso acontece porque a compressão do fluxo sangüíneo (ao cruzar as pernas, por exemplo) interrompe o tráfego de impulsos nervosos.
Ao restabelecer o fluxo, acontece uma espécie de 'curto circuito' nos impulsos elétricos dos nervos, daí a sensação de formigamento.
Há até um problema conhecido como 'paralisia dos amantes’. O casal dorme junto e um deles fica em cima do braço do outro.
O fluxo sangüíneo pode ficar interrompido por horas, comprometendo por meses ou até para sempre o músculo do braço.
A saída para o formigamento restabelecer o fluxo sangüíneo, é movimentando o músculo.
Dependendo do caso, é necessário fazer fisioterapia.

3) Por que tenho vontade de urinar quando entro na piscina?
É verdade;
Ao entrar na água, a pressão externa sobre o corpo aumenta.
Os líquidos componentes do plasma que estão fora dos
vasos são 'empurrados' para dentro deles, com o aumento
do volume de sangue nos vasos - chamado volemia - vem a vontade de urinar.
É como beber água. Por falar em água, é verdade que torneira aberta e
chuveiro desperta a vontade.
'É psicológico, chamamos de reflexo da micção’.
Fonte: Internet.

Leia Mais

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Se Sou


Se Sou
Sou fraca diante da força da natureza,
E forte perante os não amigos,
Sou imensa, diante de um grão de areia,
E minúscula, se comparada ao infinito.
Se precisar, sou a mulher que luta,
Ou a menina que se recolhe amedrontada,
Eu não sou nada, ou, sou tudo,
O que eu sinto, não mudo...
Se gritar, talvez não seja tão alto,
Que alguém possa ouvir,
Se sussurrar, só meu coração escuta.
Se calar, ouço uma voz,
Se perguntar, a voz não responde...
E eu, o que sinto! Nada, nada de especial,
Apenas penso.
E acabo sem saber o que fazer,
Não perguntaria ao coração,
O que ele nunca vai dizer.
Forte e fraca, alegre e triste,
Menina, mulher, feliz ou não!
Se sou tudo diante do nada,
Ou nada diante do tudo,
Tem diferença, não sei dizer...
Depende do que for acontecer,
Se na minha fantasia,
Sou tudo que quero ser.
A: Ligia.

Leia Mais

Comigo agora

  ©Template Fragmentos (Textos, Poesias, etc) by Silmara Layouts